Estoicismo_ Paz na Vida, Paz na Prática




Estoicismo é uma doutrina que se caracteriza por uma ética em que a imperturbabilidade, a extirpação das paixões e a aceitação resignada do destino são as marcas fundamentais do homem sábio, o único apto a experimentar a verdadeira felicidade.


Segundo o Estoicismo ou Filosofia Estóica, para viver em paz e com plenitude é preciso diferenciar o que se pode controlar do que não se tem controle.


Ao seguir esse princípio, paramos de nos influenciar pelas circunstâncias que não estão sob nosso controle e deixamos de desperdiçar tempo e energia, focando somente naquilo que está realmente ao nosso alcance e que é possível interferir.


O Estoicismo foi influenciado pela filosofia de Aristóteles, sábio que viveu na Grécia entre 384 A.C e 322 A.C.




Para Aristóteles o funcionamento do Cosmos é perfeito do jeito que é, e essa visão foi assimilada pelo Estoicismo.


Se observarmos o Universo como um todo, encontraremos sentindo na Vida e seus processos.


No Estoicismo, Deus não só envolve a parte espiritual, mas também a física. Por isso, o Divino pode ser extraído e captado em cada experiência humana.




Independente de concordarmos com os acontecimentos da existência ou não, a Terra continua girando ao redor do Sol, todos um dia iremos morrer e outros nascerão.


Estes fenômenos fazem parte da ordem cósmica, não podemos mudar, mas, o que está ao nosso alcance fazer é aproveitar o tempo de nossa existência e vivermos o melhor que pudermos, aprendendo com o TODO.


Posteriormente à Aristóteles, aproximadamente 3 séculos antes de Cristo, foi fundada na Grécia Antiga a escola do Estoicismo, por Zenão de Cítio, que viveu por volta de de 344 A.C até 262 A.C.


Ele ensinava essa filosofia nos Pórticos dos monumentos da Grécia Antiga.

Pórtico em grego era chamado de STOA, de onde derivou a palavra Estoicismo.




Sêneca, Epípeto e Marco Aurélio foram os maiores divulgadores do Estoicismo.





A existência está sempre em movimento e vivemos em um mundo de constantes mudanças. Por isso, diante da efemeridade e inconstância da Vida, ocorre o imprevisível e não temos o controle de várias situações da vida.


Diante desse fato incontestável, precisamos ter serenidade e equilíbrio, para pelo menos manter o controle sobre nós mesmos.


Sendo assim, o Estoicismo nos ajuda a lidar com nossas emoções negativas, e a desenvolvermos nossa tenacidade para encarar melhor nossos desafios.




Encare suas limitações e dificuldades


Para Sêneca, é necessário enfrentar o que se tem medo e não se acostumar com a zona de conforto, pois, ao viver o que se teme, a dificuldade diminui e se desenvolve mais firmeza e força para lidar com as adversidades.


Caso contrário, o conforto gera comodismo e resistência de encarar as mudanças e o novo que está por vir, afinal, a existência é passageira e cheia de desafios!





Estamos aqui de passagem


Marco Aurélio orientava: “receba sem orgulho, deixe ir sem apego“.

Tanto as vitórias, como as derrotas, são passageiras. Este fundamento do Estoicismo nos incita ao desapego e a viver de forma mais presente, lúcida e realista.



Viva o que realmente importa!


De fato tudo passa, o que vale é quem realmente somos em essência!

Tudo é efêmero e o que importa é viver com presença o agora.

“Não ponha seu coração em tantas coisas”, já dizia Epiteto.

Não adianta ter o mundo e perder a si mesmo!


Viva cada dia, como se não existisse amanhã


Marco Aurélio ensinava:

“Esta é a marca da perfeição do caráter, viver cada dia como se fosse o seu último, sem frenesi, preguiça ou qualquer fingimento.”


“Que cada coisa que você faça, fale, seja ou pretenda ser, seja como se você estivesse à beira da morte.”

Lembrar de nossa mortalidade nos convida a viver mais inteiros no momento presente. Dessa forma poderemos vivenciar o que realmente importa.


Aja mais com o coração, viva o que tem para viver e faça acontecer!


Flua com a Vida


Grande parte do sofrimento e da infelicidade do ser humano se deve ao fato dele não aceitar aquilo que não pode mudar e não tem controle.


Ao se extrair dessas experiências, aprendizado, sabedoria, aperfeiçoamento e transformação, se flui melhor com a Vida.




Abra-se para o novo



Segundo Epiteto:

“É impossível para uma pessoa começar a aprender o que ela acha que já sabe.”


Partindo dessa premissa, para viver bem é preciso se abrir para a Vida, aceitando e se adaptando às mudanças!


Foque em você e pare de julgar os outros


Sêneca escreveu:

“Deixe sua filosofia lidar com suas próprias falhas, ao invés de ser uma maneira de reclamar dos erros dos outros.”


Focando em nós mesmos, fazendo nossa parte para ser um problema a menos no mundo, e até servindo de exemplo para outras pessoas fazerem o mesmo.


O mal está não só em quem o faz, mas também, naquele que deixa de fazer o bem


De acordo com Marco Aurélio:

“Muitas vezes a injustiça está no que você NÃO está fazendo, e não só no que está fazendo.”

A resistência, a omissão e o medo, são formas de ser conivente com a injustiça, de deixar de fazer o bem e avançar na vida. Por isso o mal, está também em quem deixa de fazer o bem.






Seja humilde


A morte nos iguala, tanto reis, como mendigos morrem e viram pó!

Todos somos mortais e sobre isso Marco Aurélio escreveu:

“Tanto Alexandre, o Grande, quanto seu cuidador de mulas foram trazidos ao mesmo lugar pela morte.”

O que pode mudar mude, mas o que não pode, supere


Sêneca aconselhava:

“Se você realmente quer escapar das coisas que o incomodam, o que precisa não é estar em um lugar diferente, mas ser uma pessoa diferente.”








0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo